A Bíblia e a Santa Igreja Católica

A Bíblia e a Santa Igreja Católica

O mês de setembro é dedicado pela Igreja Católica no Brasil ao estudo e meditação da Palavra de Deus, a Bíblia. Para nós, cristãos, a Palavra de Deus é fonte da vida e da missão da Igreja de Jesus. Neste ano estamos meditando o livro do Êxodo, com o tema: Travessia: passo a passo, o caminho se faz (Ex 15,22-18,27) e o lema: “Aproximai-vos do Senhor” (Ex 16,9). O êxodo continua na nossa vida. Para melhor entender e viver esta realidade, olhamos para o passado: a marcha do povo antes de chegar ao Monte Sinai. As dificuldades enfrentadas naquela época se assemelham com as que enfrentamos hoje. Olhando como elas foram resolvidas naquela época de Moisés podemos encontrar respostas que nos ajudam a enfrentá-las hoje.

Houve problemas causados pela natureza: a água amarga (15,22-27), a falta de comida (16,1-36) e a falta de água (17,1-17). Houve até desafios causados pelas pessoas: o perigo dos amalecitas (17,8-16) e as dificuldades provocadas pela própria comunidade, como a centralização da liderança (18,13-27). A aliança realizada no Êxodo é iluminada por Jesus Cristo, o “Narrador” de Deus (cf. Jo 1,18), e no dizer de Santo Irineu de Lião, “é o Revelador do Pai”. Ele é o verdadeiro libertador. Ele é a água viva, a rocha, o maná que nos alimenta. Ele nos ajuda a vencer os nossos inimigos e a repartir nossas tarefas. No estudo, na leitura e na meditação da Palavra de Deus, a Bíblia, encontramos respostas para inúmeras perguntas que o ser humano se faz. A Bíblia, sem dúvida, traz a história da salvação de toda a humanidade.

A Sagrada Escritura é escrita no coração da Igreja antes de ser colocada no papel. A Igreja leva na Tradição a memória viva da Palavra de Deus e é o Espírito Santo que lhe dá interpretação, segundo o sentido espiritual. A palavra “bíblia” origina-se do grego biblíon (livro) e bíblia (livros). A Bíblia é constituída por 73 livros que falam sobre a aliança e o plano de salvação de Deus para a humanidade. Embora esses livros tenham sido escritos por uma pessoa, são inspirados pelo Espírito Santo. A Sagrada Escritura é “Palavra de Deus enquanto foi escrita por inspiração do Espírito de Deus” (Dei Verbum 9). 

A Bíblia começou a ser escrita no século XV a.C., aproximadamente, e foi concluída no final do século I d.C. A Biblia é também chamada “Sagradas Escrituras” ou somente “Escrituras”. Foram utilizadas três linguas difererntes para se escrever a Biblia: hebráico, usado na revelação do Antigo Testamento; aramaico (língua falada por Jesus), usado em alguns trechos do Antigo Testamento e no original do Evangelho de Mateus; grego, usado em alguns livros do Antigo Testamento e em todo o Novo Testamento. Os livros do Novo Testemento foram completados, mais ou menos, no ano 90 da Era Cristã.

Visto que Jesus Cristo nada escreveu, os primeiros cristãos viveram a fé sem os 27 livros do Novo Testamento durante 60 anos, embora já possuíssem o Antigo Testamento.A primeira tradução da Bíblia do grego para o latim foi feita por São Jerônimo, a pedido do Papa Dâmaso, no século IV, e recebeu o nome de “Vulgata Latina”. São Jerônimo morreu no dia 30 de setembro de 420 e, para homenageá-lo, a Igreja escolheu a sua festa para comemorar o Dia da Bíblia, mas a celebração passou a ser feita no último domingo de setembro.

Para facilitar sua leitura e para consultá-la, em 1228, cada livro foi dividido em capítulos e, em 1528, cada capítulo do Antigo Testamento foi dividido em versículos. Em 1550, foi a vez de os capítulos do Novo Testamento serem divididos em versículos. Para nós cristãos, Cristo é o Verbo de Deus, “a Palavra eterna que se fez pequena; tão pequena que cabe numa manjedoura. Fez-se criança, para que a Palavra possa ser compreendida por nós” (Bento XVI). Desde então a Palavra já não é apenas audível, não é somente uma voz, mas ela tem um rosto, que nós podemos ver: Jesus de Nazaré. Devemos estar atentos à escuta da Palavra de Deus, descobrir a centralidade dessa Palavra na nossa vida cristã e continuar a missão que Jesus nos deixou: “Ide pelo mundo inteiro e anunciai a Boa-Nova a toda criatura” (Mc 16,15).

O cristão precisa dessa Palavra de Salvação e não pode viver plenamente sem conhecê-la. “Feliz aquele que lê e aqueles que escutam as palavras da profecia e põem em prática o que nela está escrito. Pois o tempo está próximo” (Ap 1,3).