Solenidade de Todos os Santos

Solenidade de Todos os Santos

 

Celebramos a Festa de Todos os Santos. Você se considera santo? Você vê em seus atos, atos de santidade? Se você refletir sobre sua vida percebe o grau de santidade que existe em você? Pois bem reflitamos sobre o que somos diante de Deus. São João nos fala: “Caríssimos: vede que grande presente de amor o Pai nos deu: de ser chamados filhos de Deus”. A santidade é a nossa participação na Graça que foi dada de graça pelo Senhor que fez de nós filhos no Filho, portanto santidade é participação naquele que é Santo.

Neste sentido somos santificados à medida que permanecemos no Senhor. Por isso que o mundo não nos conhece, o mundo não está em Deus está entregue nas obras das trevas assim também somos incompreendidos pelo mundo, isto é todas as pessoas que não pertence a Deus jamais irão aceitar o nosso modo de viver, aí a grande necessidade de testemunharmos quem somos e a quem servimos. Infelizmente muitos dos filhos de Deus que foram chamados a ser Católicos, a fazer a diferença no mundo, querem viver uma vida religiosa, mas nos moldes do mundo fazendo as coisas que o mundo faz e se perdem e acabam vivendo uma vida frívola sem testemunho se tornando mornos no mundo - Conheço as tuas obras: não és nem frio nem quente. Oxalá fosses frio ou quente! Mas, como és morno, nem frio nem quente, vou vomitar-te. (Ap 3, 15-16). Esta será a sorte daqueles que são filhos de Deus honrados com esse nome, mas que não souberam viver como filhos.

A leitura de Apocalipse nos fala do momento que Jesus levará para o Pai todos aqueles que foram resgatados pelo Seu sangue e fará uma grande oferta para o Pai, fruto da missão que o Pai lhe conferiu – A Salvação da raça humana – Neste momento será a maior glória que jamais alguém pode ver ou participar, o Filho fazendo uma oferta ao Pai. A Glória da Trindade será totalmente resplandecida àquela multidão de homens e mulheres que foram resgatados pelo sangue do Cordeiro. Devemos meditar sobre este momento e desejar ardentemente estar presente e ser glorificado junto com o Senhor em Seu momento de Glória. Mas para isso devemos procurar viver as Bem-Aventuranças em todos os momentos e em todas as circunstâncias de nossa vida. Por isso que andamos na contra mão do mundo, andamos na contra mão para darmos testemunho desta verdade que está oculta aos olhos do mundo. Aqui vale a pena refletir quem somos no mundo. Digo os LEIGOS. Vivemos uma vida secular, isto é, estamos em todas as áreas da sociedade e somos chamados a santificar o mundo a partir do local em que estamos. Seja no trabalho, na escola, no lazer... Enfim somos chamados a santificar todos os ambientes em que estamos presentes. Veja bem, se em uma empresa não tiver presente nenhum católico, nenhum filho de Deus, o que será desta empresa? Não tem ninguém para santificar aquele ambiente e aquelas pessoas que ali trabalham. Imagine se tivermos muitos ambientes assim? O que será da humanidade? Este é o grande papel dos leigos no mundo – SANTIFICAR O MUNDO COM SUA PRESENÇA – É isso mesmo. Somos templo do Espírito Santo, somos santificados pela sua presença em nós e santificamos tudo o que está a nossa volta por que somos portadores do Espírito Santo e irradiamos a santidade em todos os espaços do mundo em que estamos presentes. Isso foi determinação de Deus, Ele quis assim para podermos participar de Seu Amor na construção de um mundo melhor onde Seu amor Reine nos corações.

Bem aventurados (Felizes) os que souberem se entregar plenamente ao Espírito Santo e tê-lo como Mestre de suas vidas participarão de uma glória que jamais alguém viu ou sentiu em suas vidas. Bem aventurados aqueles que “...vieram da grande tribulação. Lavaram e alvejaram as suas roupas no sangue do Cordeiro”. Bem aventurados aqueles que com sabedoria entregaram suas vidas ao Senhor, “mas nem sequer se manifestou o que seremos! Sabemos que, quando Jesus se manifestar, seremos semelhantes a ele, porque o veremos tal como ele é”.

A Vida para os verdadeiros Filhos de Deus só tem sentido se tudo o que está a sua volta for transformado em causa de Glória ao Senhor, por isso somos soldados da grande tribulação, somos os responsáveis em mortificar todos os membros de nosso corpo, mortificar todas as nossas vontades, mortificar todos os nossos desejos, mortificar a nossa própria vida para que o Reino de Deus seja implantado em um coração sequer e pelo menos uma pessoa seja salva. Se isso acontecer durante a sua existência neste mundo já valeu a pena viver como Filho de Deus e alcançaremos de Deus – Bem aventurado você meu filho (a) que soube me servir resgatando filhos para o meu Reino.

“Alegrai-vos e exultai, porque será grande a vossa recompensa nos céus”.

 

Antonio ComDeus