Cursilho de Cristandade

Cursilho de Cristandade

 

Responsável por Este Movimento na Diocese

Osvaldo Jorge Sousa

(73) 3231 5481 / 88318007

osvaldosousa@yahoo.com.br

Como nasceu? 

 

A história do nascimento dos Cursilhos de Cristandade começou no final da Guerra Civil de Espanha, que durou de 1936 a 1939, deixando a economia do país completamente arruinada, e o povo a chorar os seus cerca de um milhão e duzentos mil mortos.
Como lhe competia, logo que a Guerra terminou, a Igreja reiniciou o esforço de pacificação e de recuperação social e, para isso, sabia que mobilizando a juventude o poderia fazer com mais entusiasmo e eficácia.

E, a partir da Juventude da Ação Católica, foi pensada uma Peregrinação Nacional a Santiago de Compostela, idealizando-se uns cursos, com a duração de uma semana completa, como preparação para a fé consciente e entusiasta compatível com o espírito da peregrinação. Começava com um retiro espiritual apoiado nalguns passos dos Exercícios Espirituais de Santo Inácio de Loyola e, depois, para além da meditação matinal diária, o programa repartia-se por cinco lições sobre a Graça desenvolvidas por um sacerdote, por numerosos temas que incluíam o tripé da Piedade, Estudo e Ação, e outros referentes à Ação Católica e à organização da peregrinação. Excetuando o retiro, o programa desenvolvia-se naturalmente num ambiente de comunicação sobre os temas ouvidos, intercalados por cânticos coletivo, não só piedosos como também folclóricos.

Ao segundo curso convidaram a participar um jovem militar de 29 anos, Eduardo Bonnín Aguiló, de Palma de Maiorca, educado num ambiente de fé católica, que sobressaía pelo seu bom humor, por andar sempre com um livro debaixo do braço e com grande capacidade de diálogo e cultura elevada. Bonnín logo se apercebeu que estava perante um método extraordinário de espiritualidade, um elemento ótimo para a conversão da juventude de Palma de Maiorca.