DÉCIMO ENCONTRO INTERECLESIAL DAS CEBs, Ano 2000

DÉCIMO ENCONTRO INTERECLESIAL DAS CEBs, Ano 2000

Entre os dias 11 e 15 de julho de 2000 a cidade de Ilhéus acolheu milhares de pessoas vindas dos mais diferentes e recônditos locais do Brasil para celebrar o 10o. Encontro Intereclesial das Comunidades Eclesiais de Base - CEBs.

O tema do encontro foi: CEBs: Povo de Deus. 2000 anos de caminhada e contou com a participação de 3.063 pessoas, das quais 1.269 mulheres e 1.1128 homens. O número de bispos católicos presentes também foi expressivo: 70, sem contar os 4 bispos evangélicos. Representando outras sete Igrejas cristãs, participaram 72 mulheres e homens. Vieram ainda diversos convidados do Brasil e de outros paises. Um dos traços peculiares dos encontros intereclesiais é a sua abertura ecumênica e do diálogo inter-religioso com a acolhida, cada vez mais crescente, do indígenas e dos afro-descendentes. No Intereclesial de Ilhéus, a presença e participação dos indígenas talvez tenha sido um de seus traços mais singulares. Participaram do  encontro 65 indígenas de 30 nações. Das comunidades afro-brasileiras estiveram presentes 3 pais de santo e 5 mães de santo.

A partir do lema “CEBs: memória e caminhada, sonho e compromisso”, foram discutidos nesse encontro a historia das comunidades, os novos desafios impostos à evangelização num mundo dominado pela exclusão e os compromissos que devem ser assumidos para a construção de um futuro no qual prevaleçam, na pratica, os valores do Reino pregados por Jesus.

As celebrações foram experiências profundas de oração, criando um clima de verdadeira espiritualidade. No último dia foram aprovadas a carta final, a carta dos bispos católicos, a carta dos bispos evangélicos e foram assumidos compromissos. O 10o. Intereclesial das CEBs foi “um céu na terra de Ilhéus” (cf. Ap 21,14).

Na carta às comunidades lemos: ”Sentimos a força do axé em tantas demonstrações de carinho das famílias, das comunidades, da equipe de coordenação, de D. Mauro que tão bem nos acolheram. A preparação do encontro foi um grande mutirão de partilha das comunidades de todo o Estado...Estar em Ilhéus nestes dias, significou para nós sentir o peso dos 500 anos de Brasil e a certeza de que são outros os 500 anos que desejamos. A celebração de abertura, da Terra Sem Males, a Tarde Orante frente ao mar, as celebrações nos arraiais, nas comunidades, a celebração final com a grande romaria das cxomunidades nos fizeram viver momentos de intensa emoção, de purificação da memória histórica, de fortalecimento de nossa esperança, de compromisso na opção pelos pobres, na luta pela justiça, na construção da cidadania, na causa do Evangelho”.