Instituto Nossa Senhora da Piedade

 Instituto Nossa Senhora da Piedade

piedade2

 

Uma das principais conquistas dos primeiro bispo, Do Manuel Paiva, foi trazer para Ilhéus as religiosas ursulinas para fundarem uma escola católica de educação para a juventude feminina. Dom Manuel se encontrou com a irmã Thaís, que era vice-provincial das ursulinas e lhe pediu para abrir um colégio em Ilhéus. A irmã perguntou se havia condições para tal obra. O bispo lhe respondeu que não podia prometer nada, já que conhecia bem pouco da cidade, mas confiava em Deus e no povo da cidade e essa obra seria abençoada por Deus. A irmã pediu algum tempo para pensar e decidir e depois de cominicar à priora do Convento das Mercês, em Salvador, resolveu aceitar o desafio.

Aos 20 de janeiro de 1916 chegaram a Ilhéus 5 irmãs para fundarem o colégio. Inicialmente ficaram na residência do bispo ao lado da igreja São Jorge e aí iniciaram a obra. Sob o patrocínio de Nossa Senhora da Piedade a escola começou a funcionar no dia 7 de fevereiro, com 16 alunas. Em  maio as irmãs conseguiram um terreno no Alto das Quintas e aí iniciaram a construção do colégio que durou vários anos.

“A 15 de julho do ano seguinte (1917), estando habitável uma parte da casa, a pequena comunidade e as alunas deixaram o palácio episcopal e instalaram-se com alegria no novo local. Dezesseis internas se uniram às sua madres, assim como um bem reduzido grupo de externas, não sendo nada convidativo o acesso à colina por “rilhas de cabras” e caminhos que disto só tinham o nome. Tal situação acarretava fatalmente pesada responsabilidades financeiras”. [1]

Em 1 de novembro de 1917 madre Thaís estabeleceu-se definitivamente em Ilheús. “Em 1919, apoiada pelo arcebispo da Bahia, o bispo de Ilhéus, o prefeito e outras autoridades, a diretoria do colégio solicitou ao governador da Bahia a abertura de uma escola normal, com as mesmas prerrogativas da Escola Normal do Estado. Aprovado o pedido e dada a autorização, inaugurou-se a Escola Normal Nossa Senhora da Piedade. 

Em 3 de fevereiro de 1922 era assinado o decreto n. 2766 que conferia às alunas – mestras da Piedade – direitos iguais aos outorgados pela Escola Normal do Estado, o que dava àquela a honra de pioneira entre as escolas normas do interior da Bahia. A primeira turma, de seis professoras, diplomou-se em 20 de novembro de 1923”. [2]


[1] Madre Thaís e o Instituto Nossa Senhora da Piedade, Ilhéus, 1966, p. 5.

[2] Histórico do Instituo Nossa Senhora da Piedade, Ilhéus, 1981, p. 7.