LECTIO DIVINA

LECTIO DIVINA

O mês de setembro, o mês da Bíblia, nos convida a nos aproximar e desfrutar deste encontro vivo com Jesus Cristo através do texto sagrado. A Exortação Apostólica Verbum Domini, sobre a Palavra de Deus na vida e na missão da Igreja nos convoca a termos uma familiaridade com a Sagrada Escritura e nos abeirar destes tesouros que nela encontramos.

O Papa Bento XVI, no documento supracitado, faz uma explicação de um método que nos aproxima do texto sagrado, chamado Lectio Divina, ou seja, Leitura Orante da Palavra de Deus. Que não é uma símples leitura, mas uma meditação acompanhada pela oração, sob a luz do Espírito Santo, para conhecermos Jesus Cristo e anunciá-lo.

A Lectio Divina é verdadeiramente capaz não só de desvendar ao fiel o tesouro da Palavra de Deus, mas também de criar o encontro com Cristo, Palavra divina viva” (VD 87).

Apresento os passos fundamentais desse método que estão descritos ao longo do n. 87 da Verbum Domini. Antes de iniciarmos a Leitura orante da Palavra de Deus, devemos implorar sempre as luzes do Espírito Santo para compreendermos o texto e termos um desejo vivo e vibrante para estarmos com Jesus.

1. O primeiro passo é a leitura do texto. A pergunta é: O que diz o texto bíblico em si?. Ler diversas vezes tentando contextualizar a passagem bíblica respondendo a pergunta:

2. O segundo passo é a meditação, durante a qual se pergunta: O que o texto bíblico diz para mim? Nesta etapa retomar alguns versículos ou palavras do texto bíblico que chamam a atenção.

3. O terceiro passo é a oração, que supõe a pergunta: O que o texto bíblico me faz dizer a Deus? Nesse momento transformo em oração, pedido, louvor ou agradecimento aquela passagem bíblica que meditamos.

4. O quarto passo é a contemplação na qual se interroga: Qual é a conversão da mente, do coração e da vida que o Senhor nos pede? Ou seja, é o nosso propósito concreto que queremos vivenciar a partir da Palavra.

5. A Lectio Divina não está concluída senão quando chega à ação, que impele a existência do fiel a doar-se aos outros na caridade.

É de fundamental importância lembrar que é preciso criar-se um clima de silêncio exterior e interior  para uma proveitosa oração, buscar um lugar adequado e ters um horário predeterminado para se rezar diariamente. Sem estes pré-requisitos nosso propósito ficará muito bonito no papel sem ser levado para a prática.

Convido a todos a fazer um esforço perseverante e positivo na leitura orante da Palavra para nos aproximar da Escritura com um diálogo fraterno com Deus. Diz Santo Agostinho: “A tua oração é a palavra dirigida a Deus. Quando lês, é Deus que te fala; quando rezas, és tu que falas a Deus”.

Tenhamos a Bíblia na mão e a compreendamos com a mente e o coração para sempre irmos em missão.