O PODER DO ROSÁRIO

O PODER DO ROSÁRIO

A devoção do Rosário trouxe enormes vantagens à Igreja, obtidas com incrível presteza, pois, graças a elas, o povo cristão foi colocado em segurança, mediante preciosa, perpétua e universal proteção contra inimigos poderosos e seus constantes ataques.

No século XII, os albigenses tinham propalado um movimento anti-católico, que se apresentava como compêndio de todas as heresias. Negava-se o batismo às crianças, abolia-se a eucaristia, escarnecia-se da penitência, cancelava-se a esperança na futura ressurreição e destruía-se a fé no Deus único, criador do universo. Derrubaram-se igrejas, demoliram-se altares e os sacerdotes foram torturados e condenados à morte.

A quem recorrer para socorro e consolação em semelhantes apuros? À Maria, que é o mais forte reduto do povo cristão nas adversidades e de quem a Liturgia canta com singular elogio: “Maria, tu sozinha derrotaste todas as heresias do mundo inteiro!”. O socorro não demorou a vir. Pessoalmente, a Rainha do céu o traz, aparecendo a São Domingos de Gusmão e confiando-lhe esta missão: vá e propague o Rosário. Saiba que esta forma de oração será agradabilíssima a mim e a meu Filho e tornar-se-á grande e singular auxílio para a Igreja. Os resultados foram prodigiosos e confirmaram a eficácia salutar de uma devoção que se re-velou excelentíssima.

No ano de 1571, os turcos tinham organizado uma expedição com a finalidade de exterminar as forças armadas dos países cristãos e de garantir-lhe o domínio dos mares. As frotas oponentes encontraram-se frente a frente, em Lepanto, no domingo, 7 de outubro. Era o dia em que toda a cristandade recitava o Rosário de Maria, com devotas e solenes súplicas, invocando sua ajuda.

A ajuda aconteceu, de imediato, grandiosa e evidente. De acordo com a história, jamais houve uma vitória na qual se comprovou tão claramente a poderosa mão de Deus. São Pio V ordenou, então, que em todos os anos, no primeiro domingo de outubro, fosse celebrada a comemoração de Nossa Senhora da Vitória. Gregório XIII, declarando que aquela vitória fora obtida graças à recitação do Rosário, determinou que, naquele dia, Maria fosse venerada com o título de Nossa Senhora do Rosário.

(Pregação à juventude, de São Gaspar Bertoni, Fundador dos Estigmatinos, do livro A Gramática de Padre Gaspar, p. 396)